21 novembro, 2012

A propósito de um prémio Nobel, Eu e a São, somos da mesma opinião....



A São citou-o, num post. Não conhecia o nobilizado, mas a frase me pareceu entre elevada e pouco mais que uma "boa estirada"...  Resolvi que tinha que temperar a ambiguidade metafísica com o quadro de valores e sentimentos que devem preencher o interior da gente, e comentei: 
"Tragédia é, também (e certamente maior), um povo governado por homens mortos por dentro..."

... Comentário que a São tão bem emoldurou e difundiu 
(por onde muita gente viu...)

Obrigado São!

11 comentários:

Lídia Borges disse...



Estes seres distinguem-se dos mitológicos "zombies" apenas pelo colarinho branco e palavra fluente na hora de ludibriar.

Um beijo

Anónimo disse...

Foi o L.O.L. que fez a sugestão! Rsrsrsrsrs=))

Mar Arável disse...

Seja como for

boa malha

jrd disse...

Mortos por dentro e cadáveres adiados por fora.

quem és, que fazes aqui? disse...


São "mortos-morridos" ( como se dizia em S. Tomé) os que nos governam.

Descodifiquei o papelinho. AMANHÃ.

Beijo

Laura

© Piedade Araújo Sol disse...

forte!

beijo

São disse...

Tens que agradecer ao LOL, pois foi ele que deu a sugestão!

Um abreaço grato te deixo, meu amigo.

Janita disse...

Mas a verdadeira tragédia é um povo morrer lenta e desesperadamente, às mãos de um governo constituído por homens mortos por dentro e completamente insanos.
:((

Rogério Pereira disse...

Luciano,

meu caro,

Sempre a considerá-lo...

Ana Tapadas disse...

Sintonias muito boas,do meu ponto de vista!
Também te vi lá no tal sítio, pois a São fez-me o favor de partilhar.

Obrigada aos dois por serem assim.

Beijos

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

Excelente a sua adaptação, Rogério!