30 novembro, 2012

Poesia (uma por dia) - 7


Recomeço. 
Pego na flor de linho como se fosse um pequeno pedaço de céu, e sacio-me na sua vontade de ser, manto ou véu, o mais fino pano sob o manjar dos deuses. Olho-me para dentro, seguro firmemente nas pontas desfiadas dos dias iguais, detenho-me nos nós lenhosos e nos sarilhos do fio, e recomeço, de lágrimas pregadas na saia e de fuso na mão, sem medo de picar os dedos, fiando e bordando o tanto que me falta. Para me amparar dos cansaços, trago o pólen colhido no silêncio das serras, no canto dos rios mansos, no gemido da terra quente, na resina viva das raízes levantadas ao vento e na festa louca das cigarras. Dentro do meu tear serei colmeia, onde as palavras se adoçam, as feridas sempre saram, e a luz não desiste de enxergar melhor o mundo. 
Recomeço. 
Entrego aos deuses os meus gestos pequenos, de mãos a crescerem no amor das abelhas, retalhos de paisagem cravada na alma. Só eles sabem o que em mim valerá a pena, um dia, fazer-se poema. 
Maria João / Pequenos detalhes

10 comentários:

Vítor Fernandes disse...

É muito bonito. Transmite o meu gosto à Maria João.

Fernanda disse...

Lindo detalhe.
Beijinhos

BRANCAMAR disse...

Belíssimo e construído da mais pura sensibilidade, de quem por dentro traz um mundo, um mundo que se dá em silêncio, sem alardes, um mundo que cresce assim e recomeça sempre em cada dor, em cada menino que trata, em casa vida que ajuda a salvar e outras vezes a encaminhar no risco da própria vida. Um poema que traduz uma mulher inteira e total.

Beijos Rogério

Maria João disse...

Surpreendida... assim, com este gesto seu, nem sei que lhe escreva, Rogério.
Continuo a sentir que das minhas mãos nascem coisas muito pequenas mas que crescem tanto, mas tanto, com o amor das abelhas.
Obrigada, Rogério! Pela amizade, pela leitura, pela partilha e, claro, por gostar. :-)
Um beijinho muito grande

Maria João Brito de Sousa disse...

Um belíssimo texto poético! Um daqueles que, sem excepção, me deixam sem palavras...

Abraço!

quem és, que fazes aqui? disse...


Muito lindo!

'Pequenos detalhes' em grandes poemas!

Beijo

Laura

Mel de Carvalho disse...

sou leitora assídua da Mª João, que além de uma escritora fantástica, é um ser humano de excepção, que me honra com a sua amizade.

obrigada, Rogério, por aqui trazer esta nota da sua obra.

bem-haja
Mel

Lídia Borges disse...

É assim a poesia feita de linho e renda!
Sempre surpreendente a escrita da Maria João que nos acrescenta e nos encanta.

Obrigada

Um beijo

jrd disse...

Um pequeno grande detalhe e, sobretudo, muito bonito,

Fê-blue bird disse...

Um poema cheio de sensibilidade e talento.
Fui ver o blogue da autora e fiquei rendida à pessoa e à escrita.
Parabéns pela escolha.

beijinhos aos dois.