04 dezembro, 2012

Bordalo Pinheiro, o exemplo do seu traço e uma preocupação que me assiste...

Bordalo Pinheiro - Desenho retirado daqui
Lembro Bordalo e o seu traço. Lembro Bordalo e a sua inolvidável criação. Lembro Bordalo para evidênciar que a sua arte se centrava na denúncia dos processos, mais do que nos seus promotores e, assim, tinha uma acutilante e pedagógica intervenção política de denúncia. Esta lembrança me ocorre para me congratular com a existência de criativos seguidores. Da arte destes (e são muitos) um dia se fará história ilustrando a própria História. Mas uma coisa é colocar;ênfase na farsa e outra, bem diferente, é fazê-lo no farsante. E isto é uma preocupação.;
Fervilham caricaturas, montagens e fotos ridicularizando  políticos, mas descontextualizando a razão do ridículo. É um perigo. É um risco de desfocagem do essencial: a farsa de que são farsantes.

Ou dizendo de forma diferente: caricaturam-se as moscas deixando a merda ausente. E é esta a que (desde há muito) tem sido a omnipresente...