20 dezembro, 2012

Poesia (uma por dia) - 21


O Natal de Cristo

Verbe incréé, source féconde
De justice et de liberté!
Parole qui guéris le monde,
Rayon vivant de vérité!

Delamartine, Harm.

I.

O César disse do alto do seu trono:
'Pereça a liberdade!
Quero contar os homens que há na terra,
Que é a minha humanidade.'
E, cabeça a cabeça, como reses,
As gentes são contadas.
Pro-cônsules e reis fazem resenha
Das escravas manadas,
Para mandar a seu senhor de todos
Que, um pé na Águia romana,
Com o outro oprime o mundo. A isto chegará
A vil progénie humana.

II.

E era noite em Belém, cidade ilustre
Da vencida Judeia
Que a domada cabeça já não cing
e Com a palma idumeia:
Dois aflitos e pobres peregrinos
Cansados vêm chegando
Aos tristes muros, a cumprir do César
O imperioso bando...
Tarde chegaram; já não há poisadas.
Que importa que eles venham
Da estirpe de Jessé, e o sangue régio
Em suas veias tenham?
Na geral servidão só uma avulta
Distinção - a riqueza;
Na corrupção geral só uma avilta
Degradação - pobreza.
Os filhos de David foram coitar-se
No presepe entre o gado,
E dos animais brutos receberam
Amparo e gasalhado.

III.

E ali nasceu Jesus... ali a eterna,
Imensa Magestade
Apareceu no mundo - ali começa
A nova liberdade.
(...)
Almeida Garrett, Flores sem Fruto

7 comentários:

São disse...

Pobre Jesus, que se lhe passasse pela cabeça vir de novo à Terra e, principalmente fosse ao Vaticano, seria empalado na coluna da praça de S. Pedro!!

Um sereno solstício te desejo.

Graça Pereira disse...

O que eu andei para aqui chegar
Na areia do deserto me perdi
Três Magos encontrei por par
E num Presépio alegrias eu vivi!

Vi um Menino pobremente vestido
Disseram-me que Ele era o Rei
Há muito tempo já prometido
Em Profecias antigas,já não sei!

Vi uma Mulher jovem deslumbrada
Com mistério tão profundo
Um homem de barba esbranquiçada
Com um amor maior que o mundo.

Fiquei então confundida
Julguei ter-me enganado
Mas ali, notei havia VIDA
E uma BOA NOVA por legado!

Ele era REI e não tinha nada!
Era Deus e faltava-lhe o Céu.
Era HOMEM na sua caminhada
E viera por aquilo que era seu.


Feliz Natal e um 2013 muito abençoado.
Beijo
Graça

Maria João Brito de Sousa disse...

Estou como diz a amiga São... mas, como nas modernidades deste século XXI - lembrando, no entanto, que em todos os séculos houve as suas modernidades - já não fica muito "bem" empalar as pessoas, rapidamente o remeteriam para uma prisãozita ou para um qualquer estabelecimento de saúde mental...

Abraço grande!

jrd disse...

Terá começado a nova liberdade, mas tem demorado a impor-se como realidade...

Abraço

Gisa disse...

Um lindo Natal para ti Rogério e todos os teus.
Um grande bj e que a liberdade lute por todos.

Graça Sampaio disse...

Natal… Na província neva.
Nos lares aconchegados,
Um sentimento conserva
Os sentimentos passados.

Coração oposto ao mundo,
Como a família é verdade !
Meu pensamento é profundo,
Estou só e sonho saudade.

E como é branca de graça
A paisagem que não sei,
Vista de trás da vidraça
Do lar que nunca terei !

F. Pessoa

Bom Natal!

Lídia Borges disse...


Uma "nova liberdade" prometida e nunca cumprida porque o Homem ainda não encontrou maneira de viver em sociedades sem que estas se repartam entre senhores e escravos.

FELIZ NATAL!