10 dezembro, 2012

Poesia (uma por dia) - 13

Imagem - Vox Nostra
Desnaufragar 
O céu a marcar a linha do horizonte
Com o mar ali defronte
A terra não nos irá chegar
E chamar-nos-á a memória de marear
Sossega meu barco
Não temas meu barco
Havemos de recuperar palmo a palmo             teu casco
Erguer-te a vela
Em novo mastro
Te daremos remos
E corda de atracação
E um poema
E uma canção
E um leme
E um sentido 
Nada é definitivo num naufrágio
Havemos de emendar o rumo errado 
Assim tua alma te reste inteira
Que a proa a tens virada ao sonho
Rogério Pereira

13 comentários:

Zilani Célia disse...

OI ROGÉRIO!
ACHEI LINDA ESTA POESIA.
NOSSO BARCO DA VIDA SEMPRE, APÓS UM QUASE NAUFRÁGIO, PODE SE RECUPERAR E RECOMEÇAR E DESNAUFRAGAR, O QUE NÃO PODE É DESISTIR...
ABRÇS
http://zilanicelia.blogspot.com.br/ClickAQUI

Wanderley Elian Lima disse...

Olá Rogério
As vezes precisamos naufragarmos para
reconstruirmos nossos caminhos.
Um abraço

MARILENE disse...

Há magia nos seus versos. E como nada é definitivo, como mencionou, sempre podemos alterar a rota e/ou renovar os sonhos. Bjs.

Isa GT disse...

Primeiro não nos devíamos ter enganado no rumo porque temos de contar que, agora depois do naufrágio, será conveniente perguntar se sabemos nadar... antes de confiar nas boias que, há muito, foram furadas.
O erro mais comum das ovelhas é tentar sair do buraco, abrindo um ainda maior... estas três décadas foram mais do que prova disso.
Aquela "boiazinha" de sair Agora da U.E. seria quintuplicar os nossos problemas... ou vamos passar de comer palha a comer pedras?

Bjos

Luisa Moreira disse...

Parabéns pelo poema! Gostei muito...
Abraço

Fê-blue bird disse...

Coma a proa virada ao sonho, não há ventos contrários que alterem o seu rumo.
E neste mar me revejo e neste sonho me deito.

beijinhos

Mariazita disse...

Hoje venho convidar-te a visitar o meu blog
HISTÓRIAS DE ENCANTAR
, onde, excepcionalmente, acabo de publicar um post.
Desde já fico muito grata.
Beijinhos

PS - No próximo dia 14 haverá post novo em A CASA DA MARIQUINHAS

jrd disse...

O dia chegará em que a maré-alta vai invadir o areal e devolver-nos os barcos naufragados.

Abraço

A.Tapadinhas disse...

Qualquer dia teremos o lançamento de um livro de poemas...

... e eu vou estar lá!

Abraço,
António

AC disse...

Gostei do poema, gostei da convicção.
Parabéns, Rogério!

Abraço

Lídia Borges disse...


Como se pode desistir de um barco que tanto amamos?

Ele merece "um poema uma canção, um leme,e um sentido".

Ele merece que saibamos merecê-lo.

Beijo

Graça Sampaio disse...

Ui, Rogerito! Muito, muito lindo! Desta vez o menino foi DE MAIS! Vou copiar para o meu caderno de versos.

Muito obrigada. Beijo.

© Piedade Araújo Sol disse...

um poema/canção que é um alerta aos "marinheiros"....

gostei!

;)