02 dezembro, 2012

Um interregno para coisas belas... por um acto de cidadania...

...e era imensa a juventude que me rodeava!
Não é fácil fazer sínteses, quando a vontade é a de alargar pormenores... Não é fácil seleccionar intervenções, quando todas elas foram valiosas. Não é fácil falar de pontos altos, pois todos eles foram elevados. Se há exagero neste apontamento? Admito, talvez haja um pouco. Admitam também que não podem dispensar esta energia imensa, que não devem ignorar propostas honestas, que precisam deste empenhamento generoso. Admitam! Admitam e sairemos do que parece inevitável, pois a alternativa existe...

Ah, se é possível fazê-lo sem procurar a necessária unidade de esquerda? Claro que não, Jerónimo de Sousa o afirmou repetidamente (e, também, no discurso de encerramento) e a resposta detalhada também foi dada e, até, muito bem explicada...

Foi o meu primeiro congresso. E não o esqueço!
(ver tudo, aqui)

9 comentários:

Janita disse...

Um acto consciente de cidadania nem deve ser tomado como um interregno e sim como uma obrigação cívica, Rogério!
Pela minha parte, admito, e se todos admitirmos a existência de uma alternativa viável, talvez se encontre a saida para o que se nos afigura inevitável.
Mas, para isso, temos ainda de admitir que:

"É preciso avisar toda a gente”.

Mais! Que toda a gente ( de esquerda) esteja unida e coesa, caso contrãrio ficará apenas a recordação rimada:

"Foi o meu primeiro congresso. E não o esqueço!"

Gostaria de lhe perguntar, Rogério, mas não leve a pergunta demasiado a sério:

Porque ficou sentado, quando toda aquela juventude estava de pé e de braço levantado? :-))

Um beijo.



Rosa dos Ventos disse...

Fui tendo todas as notícias através do facebook! :-))

Abraço

Fê-blue bird disse...

E eu aqui tão perto. Frequente esse complexo durante a semana :)
Espero que essa força seja uma alternativa!

beijinhos

Maria disse...

E como eu sei que nunca mais esquecerás este teu 1º Congresso!

Beijo.

Lídia Borges disse...


Mantive atenta, tanto quanto me foi possível.

Lídia

Ana Tapadas disse...

É bom ter uma causa. Aprecio-o por isso e pela forma como testemunha.

Beijo, meu amigo

Maria João Brito de Sousa disse...

Não consegui ver praticamente nada por causa da ligação doidinha... ou em conflito, ou com um vírus qualquer... o que é certo é que me obrigava a reiniciar vinte vezes para me permitir uns escassos 5 ou 10 segundos online... e voltou à loucura... ligar e religar é tudo o que consigo ir fazendo... com muita sorte, respondo a um ou dois comentários...

Abraço!

Rogério Pereira disse...

Querida Janita,

A Minha Alma estava de pé!, a sério...

jrd disse...

De pé e vertical!

Abraço