30 janeiro, 2013

Mesa Redonda (6) - Tema: "... o que não muda..."


Eu (abrindo a sessão) - Hoje o tema é a "mudança". Vamos falar como mudar...
Meu Contrário (contrariado) - Preferia falar sobre o que não muda
Minha Alma (admirada) - E não é a mesma coisa?
Meu Contrário (sentencioso, entre o sério e o gozo) - Não, não é! Se percebermos bem o que não muda, estamos mais habilitados a perceber o que é necessário mudar...
Minha Alma (interessada) - Não percebo!, podes exemplificar?
Meu Contrário (persuasivo) - Se tens seguido o alarido em torno do que se passa naquele partido... percebes que nada gira em torno do que há a fazer mas sim à volta de quem é melhor para o fazer?...
Minha Alma (completando a ideia) - ... e todos esquecem discutir o que deve ser feito...
Meu Contrário (afirmativo) - Isso mesmo. Tal como tem vindo sempre a acontecer... os militantes são confrontados com pessoas... porque são as pessoas que operam as mudanças, mas não discutem o que é necessário mudar... 
Eu (que até aqui tinha ficado calado) - A melhor maneira de não mudar coisa nenhuma é ir mudando... pessoas. O resto vai ficando igual... mudará só o estilo e a intensidade desse fazer ...
Minha Alma (desanimada) - ...não poderemos esperar resultados diferentes... Então, só podemos esperar pessoas diferentes para fazerem coisas... iguais!
Eu e Meu Contrário (em coro) - Nem mais!

8 comentários:

JP disse...

Nem mais...acrescento eu!

Efetivamente enquanto continuarmos com esta gentinha dos dois maiores partidos nacionais, é sempre um "vira o disco e toca o mesmo".

Eles nem se entendem entre si....

Abraço

Anónimo disse...

Isso mesmo Rogério,

Vão mudando as pessoa (moscas) e a politica (a merda) é a mesma.

Como costumas dizer: "boa malha"

Abraço

José Luís

jrd disse...

Quem vos ler, até é capaz de imaginar que foram ao "Rato"...

Carlos Barbosa de Oliveira disse...

É a tal história...mudam as moscas, mas a me---porcaria é a mesma.
Ou , visto por outro prisma: ver a árvore, mas esquecer a floresta...

Mar Arável disse...

Que viva a nossa

Maria da Fonte

Anónimo disse...

Valeu!
Insanos é o que há mais.
Não passam de uns covardes infelizes a repetirem ano após ano a mesma M......!
O problema é deixarem a M......para os outros.
Insanos e estúpidos!

Maria João Brito de Sousa disse...

... eu, que amo as palavras desde a sua raiz e por inteiro, começo a receá-las... é que quando eu digo mudança, quero dizer isso mesmo... outros, pegam-me na palavra, fazem uns malabarismos com ela, desviam-lhe o sentido... e... e eu levei algum tempo a percebê-lo...


Abraço!

maceta disse...

a malhar na asneira sai sempre asneira...