28 janeiro, 2013

Poemas de versos-asa que me entram em casa... e confirmam este meu ineluctável caminho

"Itinerário ineluctável" pintura de Helena Vieira da Silva, com poema de Sophia
I
De um poema de Sophia, sobre Helena
Guardo bem guardado
O significado
De um itinerário
Que redescubro nos poemas quase completos
Um, tem quase tudo
O outro, tem outro quase tudo
E, também, o quase nada que ao outro faltava 
II
 "Aqui, as aves falam de cumplicidade,
do divino e do terrestre,
da aliança entre deuses e homens
numa linguagem inteligível por reis e plebeus.
Falam dos grãos de pão meticulosamente
repartidos, do vinho e da sua alegria contagiante,
da seiva acesa que alimenta sonhos, intentos e utopias."
III
Habita-nos no entanto esta miragem
De exceder as circunstâncias
E em cada gesto pressentir o ressumar
Das colheitas no vermelho das espigas
Em maduros Maios do futuro...
... do que me deu o Herético
IV
Ando a aprender
A coleccionar irmãos
Que me armam de verdes paisagens
E me oferecem poemas 
Fazem-me sentir
Que não ando sozinho
Por este ineluctável caminho